Em 29 de maio de 1919, aconteceu um eclipse total do Sol. O fenômeno foi visível em uma estreita faixa de terra que atravessava os continentes da América do Sul e da África, na região próxima ao equador terrestre, e foi registrado por equipes brasileiras, inglesas e norte-americanas em Sobral, cidade do interior do Ceará, e também a Ilha de Príncipe, na costa africana. Os experimentos realizados na observação desta efeméride, permitiram a comprovação da Teoria da Relatividade Geral, que o físico Albert Einstein havia publicado em 1915.

O Brasil foi protagonista deste importante feito: as fotografias registradas em Sobral confirmaram o valor previsto na Teoria da Relatividade Geral sobre a deflexão da luz. Além da verificação científica de um dos pressupostos da teoria de Einstein, os astrônomos também buscavam estudar a coroa solar, visível unicamente durante os eclipses totais do Sol. Com este objetivo, o então diretor do Observatório Nacional, o astrônomo Henrique Morize, realizou observações e fotografias do eclipse.

A comprovação da Teoria da Relatividade Geral foi uma das grandes conquistas científicas do século XX e transformou a visão científica do mundo. A partir dessa constatação, a ciência abriu caminhos para um melhor entendimento dos fenômenos físicos em escalas que vão desde o Sistema Solar até o universo como um todo. Isso é possível, basicamente, pelo fato de que a gravitação é a interação dominante em grandes escalas e, portanto, a partir de uma teoria bem sucedida do campo gravitacional pode-se explorar os mecanismos físico que atuam nesses sistemas.

O seminário "100 anos do eclipse de Sobral e a comprovação da Teoria da Relatividade Geral" celebra a importância do eclipse total do Sol de 1919, divulgando a história da ciência e debatendo os desdobramentos atuais da Teoria da Relatividade Geral na astronomia.



Serviço

Data e horário

24 de maio, das 14h às 17h

Local

Auditório do Observatório Nacional

Programação

14h: Abertura

14h15: O Observatório Nacional e o Eclipse de maio de 1919
Antonio Augusto Videira (UERJ)

15h30: Intervalo

15h45: Einstein e a Curvatura do Espaço-Tempo
Luis Carlos Bassalo Crispino (UFPA)

Público-alvo

Pesquisadores, estudantes de graduação e pós-graduação das áreas relacionadas, e ao público geral interessado no tema.