Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Atividades do ON na Semana Nacional de C&T

Publicado: Domingo, 14 de Outubro de 2018, 17h39 | Última atualização em Segunda, 15 de Outubro de 2018, 16h53

Durante a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, o Observatório Nacional oferece atividades relacionadas às suas três áreas de atuação, em diversos espaços.

Este ano, especialmente, o ON ocupará dois estandes na área aberta. Além disso, terá atividades na Cúpula da Luneta 46, no Espaço Antares e na Divisão do Serviço da Hora. O Observatório Astronômico do Sertão de Itaparica (OASI), unidade do ON sediada em Itacuruba, sertão de Pernambuco, e o Observatório Magnético de Vassouras (OMV), no sul do Rio de Janeiro,  também estarão de portas abertas ao público durante a SNCT.

Estandes no campus

Um dos estandes no campus concentrará a Coordenação de Geofísica, que apresentará o trabalho realizado nas áreas abaixo:

Petrofísica: serão apresentadas amostras de rochas sedimentares originárias de ambientes com potencial para exploração de petróleo e gás. Será montado um microscópio petrográfico que permitirá ao público a observação de estruturas microscópicas destas rochas. O público conhecerá algumas técnicas de caracterização destas rochas através de suas propriedades físicas.

Rede Sismográfica Brasileira: num monitor, o visitante poderá ver as principais informações da Rede Sismográfica Brasileira, com dados adquiridos pelas estações em tempo real. Será montada uma estação para demonstração, permitindo ao público uma interação com o equipamento, que mostrará a detecção da vibração do solo gerada pela movimentação das pessoas nas proximidades do sismômetro.

Desenvolvimento de Sensores Magnéticos: o público conhecerá um magnetômetro usado para monitoramento do campo magnético da Terra. O instrumento ficará ligado continuamente mostrando, num monitor, as medidas do campo em tempo real. Será apresentado também um magnetômetro de uso oceanográfico, desenvolvido pelo grupo de pesquisa.

Paleomagnetismo: será apresentado um jogo interativo, na forma de um quebra-cabeça. O jogo tem por objetivo transmitir informações sobre a formação de antigos continentes no passado geológico da Terra e de como o estudo da magnetização das rochas pode contribuir para a compreensão da deriva dos continentes. Serão apresentados os processos físicos envolvidos na movimentação das placas litosféricas.

Geotermia: será mostrado um termômetro de infravermelho, usado nas pesquisas de geotermia. O público terá a oportunidade de ver esse equipamento em funcionamento, fazendo medidas de temperatura no ambiente. Será mostrado também um equipamento completo de perfilagem térmica em poços, de modo que o público entenda como é feita a medida das propriedades térmicas das estruturas no interior da Terra.

Inversão de dados geofísicos: será apresentada ao público uma atividade interativa que ilustra, de forma qualitativa, o processo de localização de uma jazida mineral através do processamento de dados geofísicos, usando a técnica de inversão.

 
A segunda tenda receberá as atividades do Núcleo de Pesquisa em Astronomia, do LIneA e da Divisão do Serviço da Hora:

Por dentro da Hora Legal Brasileira: Como a Hora Legal Brasileira é mantida? Como a grandeza Tempo, uma das grandezas fundamentais do Sistema Internacional de Unidades, é gerada?  O público poderá entender como é gerado, mantido e disseminado o "horário de Brasília".

e-Astronomia: o público vai poder conversar com astrofísicos sobre o universo e como fazemos para conhecê-lo melhor. Atualmente, fazendo fotos de alta resolução do céu, com uma câmera de mais de 500 Megapixels com o projeto Dark Energy Survey (DES, ou Levantamento da Energia Escura) e em breve fazendo um filme de altíssima resolução do universo (com uma câmera de mais de 3 Gigapixels!) para descobrir novos asteroides, estrelas, galáxias, e principalmente entender a Energia Escura que acelera a expansão do Universo. Tal filme será feito pelo Large Synoptic Survey Telescope (LSST, ou Grande Telescópio de Levantamento Sinóptico) e vai começar a “filmar” em alguns anos no Chile. Tantos as imagens como o filme precisam de um supercomputador para sua análise, daí vem a Astronomia Eletrônica, ou e-Astronomia. A tenda vai contar ainda com a apresentação de vídeos e apresentações relacionadas ao tema. 

Projeto EXOSS: rede colaborativa que busca conhecer as origens, natureza e caracterização de órbitas dos meteoros. Para isso, integra as estações de monitoramento montadas por seus associados, obtendo imagens em diversos locais – entre os quais, na sede do Observatório Nacional, no Rio de Janeiro, e no Observatório Astronômico do Sertão de Itaparica, também do ON, em Itacuruba, Pernambuco. Essa rede reúne e analisa, ainda, os relatos e imagens enviadas pelo público. O público receberá dicas de como fotografar meteoros, saberá mais sobre os fenômenos  e será orientado para fazer observação visual dos meteoros.

 

Cúpula da Luneta 46

A cúpula da luneta de 46 cm de diâmetro,  o maior telescópio refrator do Brasil, instalado no ON em 1922, estará aberta para que os visitantes conheçam este imponente telescópio, utilizado nas pesquisas astronômicas no século passado.

Dentro da cúpula, haverá ainda as seguintes atividades relacionadas à astronomia: 

Projeto IMPACTON e Observatório Astronômico do Sertão de Itaparica: será apresentado o projeto IMPACTON, dedicado ao estudo das propriedades físicas de pequenos corpos do Sistema Solar, detalhando seus objetivos e a instalação do Observatório Astronômico do Sertão de Itaparica. Os visitantes receberão informações sobre a importância da preservação do céu noturno. Também será possível acompanhar as atividades que estão ocorrendo no OASI em tempo real, por meio das câmeras lá instaladas.

Cosmologia: A cosmologia observacional é uma área de conhecimento nova e em expansão,  devido ao desenvolvimento de levantamentos astronômicos profundos. Serão apresentados os princípios básicos para entender melhor a gravitação universal,  o lenteamento gravitacional e a distribuição da matéria no Universo em expansão.

Astrofísica estelarSerá oferecida ao público uma oficina de espectroscopia, com a construção de um espectrômetro de papel usando um pedaço de DVD-R como rede de difração para  mostrar como se forma o espectro de uma fonte luminosa. A partir desse conceito simples, será apresentada a espectroscopia como ferramenta fundamental para a astrofísica estelar e explicar como é possível obter informações como temperatura e composição químicas das estrelas através da análise dos espectros estelares.

Eclipse total do Sol observado em Sobral/CE em 1919: Utilizando óculos de realidade virtual, os visitantes poderão vivenciar o eclipse registrado há quase 100 anos e compreender como ele contribui para confirmar um dos pressupostos da  Teoria da Relatividade Geral, de Albert Einstein.

 

Espaço Antares de Divulgação da Ciência

O Espaço Antares concentrará experimentos interativos para divulgação da ciência:

Provoque um Terremoto:  o experimento é composto de uma mesa adesivada com o mapa da América do Sul, que mostra a grande quantidade de ocorrência de terremotos nesta região, um pequeno sismógrafo que capta e registra as ondas mecânicas e um sistema (computador) que faz a representação gráfica do fenômeno (sismograma). Os visitantes participam da experiência batendo na mesa nas três direções que dão origem aos terremotos. O sismógrafo capta a energia produzida e a transfere para o sistema que vai visualiza-la na tela do computador.  A experiência é feita com o mediador que explica todos os detalhes do fenômeno, como por exemplo: epicentro, foco, a sua magnitude (escala Richter), os diferentes tipos de ondas que se propagam pela Terra e a estrutura interna do planeta.

Totem Omnidirecional: pirâmide quadrangular na qual é projetada, sobre as quatro faces, um conjunto de imagens dinâmicas de astronomia e geofísica. No centro da pirâmide é mostrada a imagem holográfica resultante da projeção. Um detector de imagens (Kinect) permite ao visitante interagir com o software que controla este sistema, permitindo escolher, não somente as imagens, como também modificar seus movimentos. O software também realiza uma estatística do número de pessoas que interagem com a pirâmide.

As estrelas são plasma: experimento utilizado para explicar o quarto estado da matéria, que não é comumente estudado nos cursos secundários. O efeito de luz é realizado dentro de uma esfera (globo) de vidro, preenchida com gás argônio.

Monte o Pão de Açúcar: os visitantes são desafiados a montar um quebra-cabeça constituído de peças de diferentes tamanhos correspondendo às curvas de nível de uma maquete do maciço dos morros do Pão de Açúcar e Urca. Este quebra-cabeça tridimensional trabalha conceitos importantes no seu escopo, tais como: noções de escala, volume, peso, altura e perímetro. Além disso, as informações sobre a origem do Pão de Açúcar, como ele se formou, como as rochas chegaram à superfície da Terra, idade e etc., são transmitidas ao público.

 

Divisão do Serviço da Hora 
A Divisão do Serviço da Hora estará de "portas abertas" para mostrar aos visitantes seu laboratório. No auditório da DISHO, serão realizadas a solenidade de abertura e as palestras oferecidas pelas instituições participantes.

 

Observatório Astronômico do Sertão de Itaparica
O OASI receberá os visitantes nos dias 18 e 19 de outubro, no período de 10 às 17h. 

 

Observatório Magnético de Vassouras

O OMV fará visitas guiadas no campus entre os dias 16 e 19, das 9 às 11 e das 14 às 16 horas.


Fim do conteúdo da página