Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

ON e Observatório Geofísico Uruguaio debatem acordo para realização de cartas magnéticas

Publicado: Sexta, 01 de Dezembro de 2017, 18h57 | Última atualização em Sexta, 01 de Dezembro de 2017, 19h00

Entre os dias 20 e 24 de novembro, a cidade de Vassouras foi transformada no centro de todas as Américas do geomagnetismo e do clima espacial, sediando o II Encontro de trabalho Pan Americano de Geomagnetismo. Participaram 57 profissionais, especialistas, além de estudantes de geomagnetismo e do clima espacial, oriundos de 16 países das Américas do Norte, Central e do Sul, além de Alemanha, Bélgica, Itália, Portugal, Reino Unido e Moçambique.

Durante o II PANGEO, o coordenador do evento, o pesquisador Luiz Benyosef, do Observatório Nacional, se reuniu com o oficial Bruno Canosa Görke, do Serviço Geográfico Militar – Ministério da Defesa do Uruguai, e a pesquisadora leda Sánchez Bettucci, coordenadora do Observatório Geofísico do Uruguai – Faculdade de Ciências/Universidade da República, que vieram para este evento especialmente para definir o escopo do acordo a ser firmado entre Brasil e Uruguai, para realização das cartas magnéticas entre a região sul do Brasil, Uruguai e Paraguai.

As sessões científicas e minicursos do II PANGEO foram apresentados e discutidos no salão de convenções do hotel Mara Palace. No Observatório Magnético de Vassouras, foram realizadas medições intercomparativas, comparando os valores medidos por instrumentos trazidos de observatórios estrangeiros, para que fossem comparados entre si e com similares do centenário Observatório Magnético de Vassouras. "É importante destacar que este observatório tem uma das mais importantes séries históricas no contexto mundial por estar operando,  ininterruptamente de minuto a minuto, desde 1916", explica o coordenador do evento, o pesquisador Luiz Benyosef, do Observatório Nacional.

O II PANGEO permitiu a observação de novos procedimentos técnico-científicos, a apresentação de novos instrumentos que aumentam a precisão dos dados registrados pelos observatórios magnéticos e estações de repetição, essenciais no fornecimento das informações para o estudo do clima espacial brasileiro e das Américas.

As sugestões e conclusões do II PANGEO serão compiladas em um documento que depois de finalizado será enviado para organizações especializadas em todo mundo, especialmente das Américas, que se dedicam nos estudos do geomagnetismo e do clima espacial.

 

Participantes visitam o Observatório Magnético de Vassouras

 

Especialistas da Costa Rica fazem intercomparações instrumentais

 

Conferência do pesquisador Clézio de Nardin, do INPE

 

 

 

 

Fim do conteúdo da página